sexta-feira, 29 de abril de 2011

Desculpe-me se isso já não derrete o gelo do meu coração. Se não é o bastante é porque o Iceberg latente em meu peito é realmente grande [e pode parecer assustador, mas isso me agrada].
Se seus olhares já não provocam uma retribuição maior do que desprezo em mim e isso realmente te incomoda... Queria desculpar-me também por isso. Garanto-lhe que a culpa não é minha.
E quem é o culpado então? Caso você tenha real interesse em saber, iremos com calma. Quer um início? Então te darei um quadro típico da pessoa a qual você deve estar sentindo falta.
Uma garota ingênua, permissiva, leal ao extremo e proprietária de um coração tão mole quanto água escorrendo entre os dedos. Aí vieram as complicações. Bateram no coração, abusaram de sua lealdade, menosprezaram a pureza de seus sentimentos e a traíram. Traíram sua confiança, pra ser um pouco mais específica. E a pobre garota continuava quieta. Então resolveram tomar uma iniciativa por ela. Seu coração de água resolveu congelar-se e decidiu que ele não permitiria que ninguém mais a fizesse sofrer. Ele tornou-se uma imensa pedra de gelo impenetrável.
Então, queridos... Perdoem-me pela falta de sinceridade impressa em meus sorrisos, ou pela ausência de manifestações afetivas... A culpa não é minha, garanto novamente.
E se quiser mais informações, procure o superintendente responsável pela minha mudança brusca de atitude: Só e unicamente o coração de gelo batendo em meu peito.”


-As pessoas não mais golpeiam mais o meu coração
Pois construí uma sólida barreira entre elas e ele.
E quer saber?
Ele está muito bem assim!

2 comentários:

Alma Perdida disse...

Olá!!!
Amei seu blog...
Tá de parabéns...
Estou seguindo o seu, segue o meu de volta??!

Bjs...

Grafin disse...

Apenas tome cuidado, querida...
Até as mais sólidas barreiras tem fendas irreparáveis.
G.

Postar um comentário